quinta-feira, 5 de maio de 2011

FESTIVAL DE ROCK - THE FLOWER POT MEN

No meado dos anos 60 um movimento crescia no Ocidente, que moldaria todo o mundo que conhecemos. Os jovens já não acreditavam mais nas promessas do sistema e se aventuravam em novas concepções. Ao invés da guerra, fazer o amor; a droga como a chave das portas da percepção; os ensinamentos de Jesus vistos através de um novo ângulo: os vendilhões do templo se aproveitaram da falta de embasamento da juventude, e espalharam a mídia com as indústrias da pornografia, do tráfico e da fé. Mas estamos ainda em 1967, quando um grupo britânico ainda acreditava que a solução estava sob o sol de São Francisco, os Flower Pot Men, cujo nome já era bem significativo (flower pot pode ser traduzido como vaso de flores ou flor da maconha). O single Let´s Go To San Francisco tinha no lado B a continuação do lado A, e foi o único lançado pelo grupo. Sempre tive a curiosidade de saber como estavam estes ex-hippies: internados num hospício? Isolados numa caverna? Nada disto: são simpáticos vovôs rotundos, como eu.

 
In the mid-60’s a movement was born in the Occident, that would shape the world as we know. Youngsters no longer believed in the promises of the system and would venture new conceptions. Instead of making war, make love; the drug would open the doors of perception; Jesus’ teachings seen through a new angle: the Temple traders would take advantage on the lack of structure of the naive, spreading the media with the industries of porn, drug traffic and faith. But we’re still in 1967, when a British group still believed the solution was under the sun of San Francisco, the Flower Pot Men, whose name was already of significance. The single Let´s Go To San Francisco had in side B the continuation of side A, and was the only released by the band. I’ve always had the curiosity to know how these former hippies are now: maybe interns of a funny farm? Isolated in a cave? No way: just lovable chubby grandads like me.

seja o primeiro a comentar!